TEMA CRIADO POR PYZAM AND EDITADO POR EWERTON »

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Carrossel

É noite! As nuvens correm velozes
Nos céus escuros, escusos, ferozes
Há um fogo que arde
Um sentimento que parte

Uma verdade que foge

Na busca ele se perde
E a ilusão se repete
Em céus escuros,
Escusos, ferozes
Sombrios

É noite! As sombras consomem
No quarto do homem

As vidas, almas - o homem

Não há nada - ninguém - em casa
O fogo arde em brasa
No mais profundo
No mais imundo

De seu coração

É noite! E o homem parte
Reparte
Desaba

As nuvens correm velozes
Nos escuros, escusos, ferozes
Becos o homem caminha

E o homem caminha - mira o céu
De nuvens ferozes
Velozes
E ele - enfim - entende que a vida
É um carrossel

O homem calado
Assustado
Ainda caminha

Caminha

É noite! Uma noite real
Igual
Às noites de todos os dias

E o homem caminha
Em nuvens velozes,
Algozes
Ferozes
Que correm
Percorrem
O céu infinito

O homem caminha

Espia o céu
Seu carrossel
Sua verdade perdida.

E o homem - caminha
Sua voz
Feroz
Pode - enfim - dizer

Mas o homem - Ainda
Ainda não sabe
Não sabe como
Se pode fazer

O homem caminha
Nos céus - Céus!
As luzes novas - irmãs
De uma manhã
Renovam
As buscas do homem

É dia! O homem caminha
De volta a seu mundo
Imundo
De Sombras
Velozes
Ferozes
Sozinhas

Ewerton H. Marschalk

1 comentários:

Marko disse...

Boa noite, estou postando seu poema no meu blog, caso não se importe:

http://hopelessfire.blogspot.com/2011/01/carrossel.html